domingo, 21 de outubro de 2007

Sozinho...

Não conheço ninguém que não goste daquela música que o Caetano Veloso canta. "Sozinho". É tão bonita, né? A interpretação, o dedilhado no violão, a letra. Até pouco tempo atrás, eu achava essa música muito romântica. Mas, percebi que ela é mais do que isso. Como o título diz, ela é, também, uma canção triste. Depois de passar por uma perda, eu reparei nisso. Estava no meu carro, ouvindo-a tocar no rádio e então percebi o que o autor queria dizer. Parecia que a composição era minha, rsrs. Você não acredita, né? Não acha a música triste? Então, pensa comigo: porque o cara estaria sozinho, no silêncio da noite, pensando naquela que esqueceu e sumiu sem se importar se o coitado ia se interessar por outra? Porque ele comenta que ela diz que o ama, porém, é da boca pra fora? Ele ficou na dúvida por causa disso e chega a conclusão que ela o engana, ou, não está madura pra saber o que é amar. Ele pede pra ela ficar colada nele, pra mostrar que se preocupa, que tem ciúme, (porque você me deixa tão solto?) que se importa. Mais triste, é ele não saber e perguntar pra si mesmo (lembrando que ele tá sozinho, no silêncio da noite, etc.) onde ela estaria, agora...
Ele não queria ser o dono dela, nem mandar na vida dela. Só queria um pouco de carinho (é que um carinho as vezes cai bem), por que quando a gente gosta, a gente cuida... Mas, ela cuidava?

Acho que você vai interpretar a música de um jeito diferente, da próxima vez que a ouvir. Talvez, também perceba que não é só uma música romântica...

"Iê, iê, iê, iê... Onde está você agora?"

0 comentários: