domingo, 16 de dezembro de 2007

Um pouco de vida...

O ser humano se acha muito poderoso. Auto-confiante, principalmente com tantos avanços tecnológicos e científicos. Mas, somos seres frágeis, como formigas (proporcionalmente, falando). E nos momentos de doença, vemos nossa fragilidade, nossas deficiências. É quando mais sofremos. Quando nós estamos doentes, ou uma pessoa querida está. A dor não é só nossa, é dos outros que se importam. A dor do ente querido não é só dele, é de quem o rodeia.
Meu pai faleceu de uma maneira rápida. Ele tinha alguns problemas de saúde, mas, ele não chegou a ficar debilitado, numa cama de hospital ou cadeira de rodas. Foi de repente. Mas, é horrível observar e, em alguns casos, sentir a dor de ver uma pessoa próxima perder suas forças, sua razão, sua memória... sua vida. Não sei se é mais doloroso.
Nessas horas, vemos como somos pequenos. Que nosso amor, carinho, atenção e dedicação não resolvem o problema. Precisa de uma coisa a mais...
Eu tenho um amigo. E hoje, quase chorei ao ver sua dificuldade por causa de sua doença. Lembro de quando perdi meu pai e ele foi um dos primeiros que foi me abraçar, naquela mesma noite. Lembro-me de como era forte, das coisas que fazia e de muitas coisas que passou. E eu não quero que ele se vá, também.
É nessas horas, que o ser humano vê como é frágil... É terrível querer ajudar e não poder.

0 comentários: