quarta-feira, 5 de março de 2008

A força das palavras...

O pai entra no quarto do filho e vê um bilhete em cima da cama.
Ele vai até lá, já temendo o pior, e começa ler o seguinte:
"Caro Papai, é com grande pesar que lhe informo que eu estou
fugindo com meu novo namorado, Juan. Estou apaixonado por ele.
Ele é muito gato, com todos aqueles "piercings", tatuagens e
aquela
super moto BMW que tem.
Mas não é só por isso, descobri que não gosto de jeito nenhum de mulheres e,
como sei que o senhor não vai consentir nisso, vamos
fugir e ser muito felizes no seu "trailer".
É que ele quer adotar filhos comigo, e isso foi tudo que eu sempre quis para mim.
Aprendi com ele que maconha é ótima, é uma coisa natural que não faz mal pra ninguém,
e ele garante que no nosso pequeno
lar não vai faltar "marijuana".
Juan acha que eu, nossos filhos adotivos e os seus colegas "gays"
vamos viver em perfeita harmonia.

Não se preocupe papai, eu já sei me cuidar, apesar dos meus
15
anos já tive várias experiências com outros caras e eu tenho certeza
que Juan é o homem da minha vida.
Um dia eu volto, para que o senhor e a mamãe conheçam os nossos filhos.
Um grande abraço e até algum dia.
De seu filho, com "amor"."

O pai quase desmaiando continua lendo...

PS: Pai, não se assuste. É tudo mentira e estou na casa
da Ana,

nossa vizinha, aquela gostosa.
Só queria mostrar pro senhor que existem coisas muito piores que
as
notas vermelhas do meu boletim que está na primeira gaveta,
esperando sua assinatura...

Abraços,
Seu filhão, burro... Mas MACHO!

0 comentários: