domingo, 4 de maio de 2008

Tempo de Promessa

Naquele tempo, quando estávamos construindo sonhos e imaginávamos um futuro diferente do que vivemos agora, vivemos num tempo de promessas. Assim como as regras, as promessas parecem feitas para serem quebradas, certas vezes. Com o tempo, jogadas ao vento para nunca mais serem lembradas. Perdidas, abandonadas. Quebradas.
Houve um tempo que se pediu e se prometeu nunca esquecer. "Não me esqueça" soava como "Não me abandone". Porém, o abandono veio de quem pediu e não de quem prometeu.
Tempo de promessas. Esquecidas com o passado, com os sentimentos. No lugar, um vazio.
Hoje, façamos novas promessas.

F.Mendes

0 comentários: